• RSS Ultimos Toques…

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Vivendo com o Inimigo

A palavra mente é uma das que tem maior número de sentidos e acepções, podendo ser usada como espírito, alma, razão, sabedoria, juízo, discernimento, inteligência, talento, gênio, pensamento, plano, projeto, intento, memória, caráter, índole, sentimentos, valor, ânimo, coragem, sentido e significação. Mas neste artigo nós a usamos como o conjunto de conceitos formados com forte conteúdo emocional e que orienta nossas ações quando não submetidas à profunda análise racional. Quando esses conceitos nos levam a ver o pior, mesmo que só como possibilidade, como se fossem demônios a nos induzir a ver o lado negativo das coisas, nós podemos chamar essa atitude de neura.A neura, então, seria gerada por uma espécie de voz interior extremamente negativa que está sempre destacando o que de pior pode acontecer, mesmo que só imaginariamente.

Por que existe essa tendência negativa em muitas pessoas? Será que é conseqüência de uma criação que levou à formação dessa atitude? Será algum fator genético? No momento, não importa a causa. O que importa é saber lidar com esse pessimismo involuntário e como não deixar que ele nos prejudique.

Inicialmente, é preciso estar ciente de que não podemos nos identificar com essa faceta da mente. Nós não somos ela, tanto que somos capazes de observar a maneira dela atuar como se não fôssemos nós os envolvidos. Ela vem lá do fundo para nos atormentar. Se soubermos que isso é como se houvesse alguma força querendo nos amedrontar e que podemos lidar com ela como um hóspede indesejável na nossa cabeça, já teremos identificado o inimigo e é mais fácil combater o que conhecemos.

Precisamos nos reeducar para repelir as idéias negativas pelo uso da razão e pelo uso do mecanismo emocional.

Pelo uso da razão, temos de analisar muitos de nossos temores que jamais ocorreram. E seguramente foram na maioria, se não a totalidade. Essa análise mostrará ao nosso intelecto que não podemos continuar pensando no pior. Podemos organizar uma lista de coisas que tememos nos últimos dois anos e que não aconteceram como as víamos pelo lado pior. Podemos também dizer à neura: Não, não vou aceitar a sua negatividade! Basta de me atormentar! Vai acontecer o melhor. Entrego o assunto ao meu sistema de autopreservação e preservação da espécie (SAPE) e sigo na certeza de que o melhor vai acontecer.

É preciso vigiar os pensamentos e não deixar que eles se envolvam pelo lado negativo. É preciso evitar palavras e expressões que expressem ânimo negativo, do tipo: “Isso só acontece comigo”, “Hoje não é o meu dia”, “Um urubu pousou na minha sorte”, “Nada dá certo comigo” e muitas outras.

Do ponto de vista do lado emocional, temos de aprender a emotizar toda e qualquer possibilidade dos acontecimentos pela visão positiva. Isso tem que se tornar um hábito, pois é assim que as coisas vão ocorrer.

A Emotologia aprofunda os estudos para a formação de uma mente positiva. 

Autor: Professor Luiz Machado, Ph.D.
Cientista Fundador da Cidade do Cérebro – Mentor da Emotologia –
www.cidadedocerebro.com.br

Compartilhado Por: Prof.ª Rita Alonso

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: