• RSS Ultimos Toques…

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Fazendo Contato

Quanto vale um contato, uma mensagem, um telefonema para melhorar a sua carreira profissional? Segundo os especialistas, a rede de relacionamentos faz a diferença quando se está desempregado ou quando se quer ampliar os resultados da empresa. É o que mostra a repórter Fabiana Scaranzi.

Será que se fazer presente na memória das pessoas que foram seus amigos de colégio, que trabalharam com você ou que têm profissões diferentes da sua, pode ajudar na sua carreira? “Você vai precisar das alianças estratégicas que vão dar a você o apoio necessário para que você desenvolva a sua carreira com sucesso. E muitas vezes você esquece os seus velhos amigos. Então você só volta a procurá-los, de forma até envergonhada, quando você precisa. E aí está o grande erro”, explica o consultor Gutemberg de Macedo.

Erro cometido por muitos profissionais. O Jorge Elmor, que é arquiteto no Paraná, passou por essa experiência. Ele ficou dois anos fora do Brasil fazendo mestrado. Quando voltou, tinha perdido o contato com os clientes. Chegou a ficar meses sem trabalhar. “No começo foi muito difícil. Eu fiquei bem ansioso quando eu voltei para o Brasil, porque eu não sabia se eu ia conseguir me recolocar no mercado de trabalho. Eu chamei todos os meus amigos e os meus clientes mais próximos para contar um pouco para eles o que eu tinha feito, da minha experiência no mestrado. E, depois disso, eu liguei para todos os meus fornecedores, visitei os escritórios. Eu acho que é super importante você manter o seu networking, você precisa sempre estar contando para as pessoas o que está fazendo e você ir atrás do seu cliente. Você não pode ficar parado esperando que eles venham até você”, conta.

Uma pesquisa feita em todo o estado de São Paulo revela que 99% dos entrevistados acham fundamental manter uma rede de relacionamentos, 73% dizem que estariam em posições melhores se tivessem feito mais contatos e 64 % confessam que se dedicam a isso menos de uma hora por semana. Citada por 96% dos entrevistados, a timidez seria a causa da falta de contatos.

Se você também se vê nessa situação, a primeira dica é colocar a vergonha de lado. Além do telefone, use e-mails, mas, se tiver um tempinho a mais, ainda prefira o contato pessoal, olho no olho. E o nosso especialista alerta: cuidado para não ser chato! “Você liga para o Gutemberg, você deixa o recado, Gutemberg está ocupado. Você liga a segunda vez, a terceira vez. De repente você bate aqui na porta do meu escritório, quer ser atendida sem aviso. Isso existe, ocorre. Está é uma pessoa chata, uma pessoa indesejada. As portas estarão fechadas para ela, certamente”, fala o consultor.

E não faça networking, que significa rede de relacionamentos em inglês, só quando você estiver desempregado ou mudando de emprego. Em Goiânia (GO) há uma organização que facilita o encontro de profissionais. Eles são sócios de uma câmara de negócios que promove encontros se profissionais de várias áreas em todo o país. Através dessa associação, eles têm acesso a uma lista de sete mil nomes. Em Goiás, a idéia começou há dois anos. Além de manter em dia os contatos, tem executivo que recebeu lá uma boa oferta de trabalho ou fechou um bom negócio. Adalberto de Queiroz, diretor de marketing, um dos aproveitam essas reuniões para incrementar a rede de relacionamentos. “Saber onde está o bom profissional, saber o profissional certo para o projeto, manter as pessoas do seu próprio meio interno como endomarketing em relacionamento… Então são coisas e iniciativas quase que uma a uma que se faz e que têm dado resultado bastante bom para os negócios”, afirma Adalberto.

Você pode manter uma rede de relacionamentos de várias maneiras. Depende do tempo, da disposição e da criatividade de cada um. Agora, em um ponto os consultores são unânimes: esse tipo de contato é fundamental para sua carreira. “Como dizia o meu velho pai: ‘Moça que não coloca a sua cara na janela, ela nunca casa’. Então tem que arrumar um tempinho para tomar um café, fazer uma ligação, bater um papo, jogar um tênis, enfim, tudo aquilo que lhe dá prazer”, afirma Gutemberg.

http://jornalhoje.globo.com/ – Ache esta matéria em:
http://jornalhoje.globo.com/JHoje/0,19125,VOI0-3069-888-308739,00.html

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: