• RSS Ultimos Toques…

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Tendência ou cortina de fumaça

Raúl Candeloro

Muita coisa tem mudado ultimamente e, por isso, fica difícil saber o que é realmente tendência e o que é apenas “cortina de fumaça”, que os americanos chamam de media hype, termo usado quando a mídia faz um carnaval em cima de um assunto sem ter a mínima idéia da profundidade das implicações envolvidas.

Por isso, hoje, vamos analisar algumas coisas que têm sido exaustivamente tratadas na mídia, mas de um outro ponto de vista: o de vendas.

Tecnologia – Algo que já está acontecendo e, em breve, atingirá todas as empresas do Brasil, independentemente do tamanho – é a informatização da força de vendas. Estão chegando ao mercado os palms e celulares com acesso direto à internet, possibilitando o envio de fax e e-mails em tempo real, o que permite que você e seus vendedores estejam em contato permanente, sem a necessidade de “passar pelo escritório para ver se há algum recado”.

Valor da marca – Uma pesquisa do Instituto Robert Starch mostra que os brasileiros e os latinos em geral concentram suas preferências em poucas marcas, principalmente as de prestígio, às quais são bastante fiéis. Ou seja, a diferenciação, via investimentos na marca, é uma forma de agregar valor aos produtos e serviços com os quais você trabalha.

 

Segmentação – A segmentação tem duas facetas principais. A primeira é a segmentação da mídia e da sua comunicação com o público. A segunda é a segmentação na hora de lançar produtos ou serviços. Isso implica em duas coisas: uma pesquisa séria sobre o que desejam seus clientes e a vontade de crescer.

Mega X micro – É a concentração – os americanos chamam de consolidação – do mercado em duas grandes vertentes: os mega (Wal-Mart, Carrefour, Blockbuster, McDonald’s, Bradesco, etc., com seu volume enorme e economia de escala) e os micro (empresas pequenas superespecializadas em determinados nichos ou segmentos, com forte tendência à customização, pois geralmente têm uma boa parte do faturamento atrelada a poucos clientes). Por isso, está na hora de começar a pensar no seu próprio negócio: “Para que lado você vai?”.

 Arrojo empresarial – Há um ditado que diz: “Ninguém atingiu a grandeza agindo de modo seguro”. Faça mais, erre mais e aprenda mais. Deixe que sua equipe faça mais, erre mais e aprenda mais. Rodeie-se de pessoas de ação, pois é muito mais fácil ter de frear alguém do que chicoteá-lo para que ande. Aquela questão de mega X micro também se aplica, em menor escala, à sua própria competência pessoal. Que tipo de pessoa (e de profissional de vendas) você quer ser?

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: